Nem um oceano separa a tradição natural do desenvolvimento tecnológico

2019-06-05T09:37:09+00:00 5 de Junho , 2019|

Do leite faz-se muito. Mas, para além da riqueza em recursos naturais, a Unicol produz inovação tecnológica, numa cooperativa em que todos os processos são integrados no terreno-mãe que é a informática.

Assim como um império, a Unicol começou pequenina. E, apesar de aquecer ser pequeno, como imortalizou Fernando Pessoa, aproximar fabriquetas que davam os primeiros passos foi também uma forma aconchegante de unir, de um lado a outro, toda a ilha da Terceira. Nunca mais foi pequena a empresa que ainda trata as 18 cooperativas filiadas com igual proximidade e familiaridade, mas a tradição e o apego à terra jamais se perdeu.

Começava em 1945, com um dos produtos que a ilha sempre teve de melhor: o leite. Como a terra que se renova e ganha raízes a pouco e pouco, a Unicol foi crescendo assim mesmo, naturalmente, até 1960. Depois, a empresa acabou por se expandir com a sustentabilidade de quem conhece os ciclos da natureza, que têm época de oferta e momento de recolha, regadio e colheita. Nos anos 60, adquire a Nestlé, e, em 1992, funde-se com a Proleite, hoje Lactogal, na criação da Pronicol

E foi a fusão, o total sentido de pertença e a consciência da necessidade de investir tempo e esforços que construíram a Unicol com um espólio vasto de recursos naturais e tradições que plantam na terra a semente do futuro.

Hoje, o império que a Unicol edificou é responsável por agregar todo o leite das Ilhas  Terceira e Graciosa, num total de 185 milhões de litros/ano, para que, com ele, se possam também produzir leite em pó, manteiga, UHT e variados queijos, com destaque para o premiado Milhafre, bem como para o tão apreciado queijo da ilha.

José Teixeira, responsável de IT, e Miguel Bettencourt, do mesmo departamento, fazem parte da grande família responsável por colocar na mesa os alimentos mais tradicionais para as famílias portuguesas. Para além da matéria-prima fundamental ao negócio, lembram que a empresa se dedica também à reparação e assistência técnica de máquinas de lavoura e ordenha, à sua venda e à produção de carne, num sistema perfeitamente integrado que respeita cada etapa da vida animal.

“Os agricultores sentem que têm uma cooperativa que zela pelos interesses da lavoura”, revela Miguel Bettencourt, que tem também orgulho no investimento realizado na fábrica de rações, “uma mais-valia, quer para a Unicol, quer para os associados”.

A iniciativa da Unicol de assegurar assistência veterinária é, para José Teixeira e Miguel Bettencourt, um valor fundamental, assente no respeito pelas pessoas que trabalham diretamente com os animais. “É uma cooperativa, e, portanto, tem de zelar pelo interesse dos sócios. O objetivo principal não é propriamente ter lucro, é mais importante ser sustentável. Mas, entre ter menos condições para oferecer aos sócios ou menos lucro, preferimos ter menos lucro. Isto é assumido pela Unicol”, concordam os representantes do departamento de IT da empresa.

No seu percurso “constante e crescente”, a Unicol também contou com um precioso aliado, dos que provam que nem um oceano separa um império feito do que há de mais natural e tecnológico. Foi há “um quarto de um século” que se deu o encontro com a empresa antecedente da all@work, como recorda José Teixeira.

“Começou com as aplicações mais básicas: as aplicações normais de gestão, que eram necessárias, porque o nosso registo era muito deficiente para a quantidade de informação que tínhamos”, explica. Num tempo em que ainda nem havia internet, os esforços de ambas as empresas tiveram de ser redobrados pela distância que, ainda assim, não faz da Unicol uma ilha. “Para um cliente que se encontra a dois mil quilómetros de distância, com o mar a separar-nos, sem internet, com uma X25, tudo isto aos olhos de hoje seria muito limitativo para trabalhar.”

Mas o mar não foi suficiente para travar a parceria; pelo contrário, foi mote para um esforço conjunto de remar para o mesmo lado, ao leme de uma “resposta muito boa por parte da all” e ancorado em “bons conselhos”, boa capacidade de resposta e vontade de avançar.

A mobilidade acelerou processos administrativos, e as soluções informáticas vieram, de um modo geral, fortalecer a “ajuda às soluções de veterinária, inseminação e outros processos, numa plataforma a que até os veterinários têm acesso”.

Hoje, a Unicol continua a crescer em solo comum, numa partilha de valores tradicionais e sob o catalisador da inspiração que o seu exemplo imprime na terra.